30 Outubro 2005

Mais leituras

Os jornais gratuitos que se distribuem nos transportes públicos de Lisboa fizeram aumentar os níveis de leitura dos cidadãos. Ao contrário de alguns intelectuais para quem será sempre melhor nunca ter lido uma linha do que espreitar um livro da Margarida Rebelo Pinto, acho que esta é uma boa notícia. Até porque estes jornais são, regra geral, bastante bem feitos.

29 Outubro 2005

Blasfemo, «gay» ou ambos?

Desculpem os sensíveis: dizem que a nova campanha da Renova é blasfema porque paganiza símbolos cristãos em outdoors, mas cá para mim é estupidamente gay. O que não tem mal nenhum (tal como aquilo de que a acusam...)

Uma morena de olhos verdes, por favor!

Era apenas uma questão de tempo. Nos Estados Unidos já foi autorizada uma experiência na qual 50 casais vão escolher o sexo dos filhos.

Uma política de natalidade de Mao Tsé-Tung não faria melhor. Falta rapaziada? Homens, por favor! Há escassez de mulheres? Venham elas! Está farto de não ter com quem ver a bola lá em casa? Encomende um rapaz! Você, homem e pai, está complexado com o complexo de Édipo do seu filho varão? Mande vir uma garota, nem imagina como a mãe se vai roer de inveja!

Está bom de ver que isto da escolha do sexo é só o primeiro passo. A seguir vem a cor da pele, do cabelo, dos olhos. Ou seja, algo quase tão nojento como os cartazes do PNR com aquele puto loiro com ar de tudo menos de português, embora desconfie que essa era a ideia de quem concebeu o panfleto.

Sou muito contra isto, mas se não houver alternativa e ainda for vivo quero uma morena de olhos verdes, pode ser?

26 Outubro 2005

Como é que se pode impugnar isto?

Numa altura em que podia ganhar vantagem sobre o Benfica em matéria de hinos, já que o novo da colectividade da Luz é cantando pelos UHF, eis que o Sporting escolhe os Delfins para cantarem o hino do centenário. OS DELFINS, porra. O responsável por isso não pode ir passar o Natal com José Peseiro, Paulo Andrade e Dias da Cunha? Por muito menos aquela gente saltou fora do clube...

25 Outubro 2005

A estranha descoberta de que as aves morrem

Uma senhora de Peniche (de onde todas as TV emitiram ontem em directo porque, pasme-se!, apareceram umas gaivotas mortas, fenómeno que como se sabe nunca tinha ocorrido nos sítios onde há gaivotas, como Peniche ou as Berlengas) acha que os bichos «andam amochadinhos» este ano.

Um lisboeta viu um pombo morto no Conde Barão e chamou as autoridades, assustado com o estranho caso de um ser vivo que esticou o pernil, coisa pouco verosímil.

Um homem teve sintomas de gripe e foi internado (depois falem do entupimento das urgências).

Já passei palavra aos meus colegas: quando virem pombos mortos no Bairro Alto, antes de os mandarem para o Instituto Ricardo Jorge vejam bem se não têm marcas de pneus na carcaça... Mas mesmo assim é melhor ter cuidado, não vá o pombo ter sido atropelado por andar «amochadinho» devido à gripe.

Não têm mais nada com que se preocupar?

O que andas a ouvir aos 19 meses?

«Playlist» de J., 19 meses e uma saudável(?) fixação com DVDs musicais e CDs:

1.º - «O Galo é o Dono dos Ovos», Sérgio Godinho (versão DVD e CD, esta no carro; no caminho para a creche, de manhã, consegue ouvir em média seis/sete vezes)

2.º - «Re-Tratamento», Da Weasel (DVD, que a malta não tem o CD e AGORA NÃO QUER!)

3.º - «O Pastorinho», ex-aequo com «Joana Come a Papa», das Músicas da Carochinha (sobretudo DVD mas sim, há lá o CD...)

4.º - «Joana Come a Papa», José Barata Moura (single em vinil, gentilmente cedido pela candidata a tia que é homónima da menina da canção)

5.º - «Balada da Rita», Sérgio Godinho (CD; 20 a 30 segundos, até ouvir o nome da mãe e pedir o «Galo...», que a antecede no álbum «Pano Crú»)

Enfim, podia ser bem pior, né?

24 Outubro 2005

O banqueiro e a violação

As vicissitudes da alta finança cada vez me entusiasmam mais. Não percebo um caracol das movimentações financeiras que fazem o Mundo andar para a frente, para trás ou para os lados e dificilmente algum dia conseguirei entender por que raio o valor de uma moeda que é decidido num gabinete pode, por exemplo, condicionar toda a vida mundial.

Também não sou especialista em off-shores e não domino as suspeitas que recaem sobre os bancos portugueses investigados pela PJ. Seja como for, acredito em cada uma delas, vá lá saber-se porquê.

Bom, mas o mais interessante mesmo foi o comentário que ouvi há pouco do capitalista do Espírito Santo: «Naturalmente estou muito preocupado... com a violação do segredo de Justiça.» Mainada! O que é que são uns milhõezitos usurpados ao Estado (portanto a todos nós) ao pé do drama de um segredo violado? Haja respeito!

23 Outubro 2005

Problemas mentais

Segundo dados da Comissão Europeia, 27 por cento dos europeus sofrem de problemas mentais e a depressão caminha a passos largos para o estatuto de principal causa de doença no (chamado) mundo desenvolvido.

O que é que nos andam a fazer? O que é que andamos a fazer? O que devemos fazer?

17 Outubro 2005

Intestino pela vulva. Sim, leu bem

Retirado de uma entrevista de um médico ginecologista do Hospital de Santo António, Porto, ao Correio da Manhã de hoje:

«— Uma vez assisti uma rapariga que vinha com 20 centímetros do intestino de fora. Foi a uma abortadeira que tentou dilatar-lhe o colo do útero com uma agulha de croché. Só que a agulha furou-lhe o útero e pegou o intestino. A abortadeira pensou que era o cordão umbilical e começou a puxar, o que levou a que o intestino lhe saísse pela vulva.»

Agora, se quiserem, discutam a despenalização do aborto.

16 Outubro 2005

Alguns nomes

Pedro Barbosa, Rochemback, Rui Jorge, Hugo Viana.

João Alves, Wender, Silva, Deivid.

Descubra as diferenças.

Fumam de mais e depois olha...

A televisão holandesa vai passar um programa com consumo de droga e sexo ao vivo, seguido de debate sobre os temas. Até aqui OK, já se viu de quase tudo na TV e só falta mesmo aquilo que um amigo gosta de dizer, citando por sua vez outro amigo: «Isto só acaba quando uma televisão passar sexo entre deficientes profundos».

Mas atente-se no nome do programa holandês: segundo o Público de hoje, domingo, a tradução mais fiel é «Ejacula&Engole». Eu até era a favor da despenalização das drogas leves, mas depois disto vou repensar...

Perdidos e não achados II



Mais duas pérolas, desta feita em DVD, terão sido emprestadas a alguém, por consequência conhecido/amigo, e nunca mais voltaram a Telheiras.

Mais uma vez, presumo que entre os seis leitores deste blogue (estamos a subir nas audiências, garantiu-me a Marktest) não estejam os detentores das obras, mas nunca se sabe, palavra puxa palavra, 31 de boca, e tal, pode ser que reapareçam.

São «só» o Antes de Amanhecer (Julie Delpy e Ethan Hawke) e o ET, o filme que me fará sempre chorar, mesmo que tenha de o comprar outra vez.

14 Outubro 2005

As contas das gravatas

Os transportes públicos vão aumentar 4 por cento; a gasolina aumentou, desde Janeiro, 35 por cento; o gasóleo 45 POR CENTO, mas isso é bem feita porque polui mais (e lá em casa há dois carros a diesel, não sou suspeito); o colégio do meu filho aumentou 6,5 por cento; o café, lá onde eu mais o bebo, aumentou 20 por cento no mês passado. Os jornais desportivos aumentaram este ano 7,7 por cento. E assim por diante.

Ora bem: daqui por uns meses, aposto, virá um senhor de gravata anunciar uma inflação de 3 e poucos por cento, mais coisa menos coisa. Isso é chamar-me o quê?

13 Outubro 2005

Depois dizem que são paneleirices, e tal


Acabo de perceber que perdi mais um livro. Apenas mais um. MAIS UM! É do mais odiável que acontece. Sei, ou presumo, que na maioria das situações as pessoas não fazem por mal e sim, é verdade que no meio das minhas colecções há um ou outro CD que pertencia a outrém.

Não estou a ver que entre os cinco leitores deste blogue esteja a pessoa a quem emprestei a «biografia não autorizada» do José Mourinho, autoria de Joel Neto, mas às vezes nunca se sabe, alguém puxa conversa e vai na volta o livro reaparece.

Enquanto espero por mais este D. Sebastião, penso seriamente em fazer com os livros o que já há anos tenho para os CD: uma base de dados em Access. Paneleirices, não é? Está bem, mas o certo é que já não me importo nada de emprestar discos. Vou lá ao computador, ponho «emprestado a x ou y» na caixa certa e a qualquer momento mando a máquina imprimir a lista dos ausentes. Podem até passar anos com amigos, mas pelo menos sei onde estão e por isso ainda são meus. Este livro, como dezenas de outros, é que já não...

10 Outubro 2005

Para espreitar

Olhem, gostava mesmo que fossem aqui. É dos que valem a pena. E não se deixem intimidar pelo desencanto autárquico, isto passa-nos, a mim e a ele.

09 Outubro 2005

E calem-se, OK?

Ah!, e de uma vez por todas, vão para a puta que vos pariu com a conversa de que os políticos são isto e aquilo, tá?

É assim...

Confesso, ingénuo, que mantive ligeiras esperanças. Mas não - confirma-se tudo: vale a pena fugir à justiça, vale a pena ser demagogo, vale a pena ser bronco, vale a pena ser populista. Portugal, meu amor, mereces tudo o que não tens!

Contra a mentira


Se nas próximas presidenciais aparecer um candidato morador da Margem Sul a reconhecer que A PUTA DA PONTE 25 DE ABRIL ESTÁ SEMPRE EMPANCADA e que nela perdem centenas de horas de vida milhões de portugueses, eu voto nele em vez de pôr a cruzinha no poeta. Os utentes do IC19 pelo menos não escondem o que passam todos os dias e até têm a vantagem de saber a que horas contam com o pára-arranca.

É domingo; não houve acidentes; não está sol; não é Agosto; já há Almada Forum portanto não precisam de passar os domingos de chuva no Colombo; o Benfica não joga em casa; o Sporting não joga em casa; é dia de eleições. ALGUÉM ME EXPLICA POR QUE DEMOREI 1H45 A PASSAR A PUTA DA PONTE? Obrigado.

08 Outubro 2005

A fronteira

De vez em quando, a vida encarrega-se de destruir a notável capacidade que temos de nos achar invulneráveis e imunes àquele tipo de perigos «que só acontecem aos outros»: esta manhã, um pedaço de tecto, com meio tijolo incluído, caiu na cama do meu filho. Ele tinha-se levantado há menos de uma hora. Já sequei as lágrimas.

Mão na merda

Sinto-me com urticária. Inadvertidamente, peguei num panfleto do Partido Nacional Renovador que um criminoso qualquer deixou na minha caixa de correio.

06 Outubro 2005

Aterrador

Um italiano que esteve em coma profundo durante quatro meses diz que durante este tempo percebia tudo o que se passava à sua volta.

Não sei se é verdade, «show off», exagero ou oportunismo. Só sei que é uma perspectiva aterradora. Aliás, tirando talvez um despertar como aquele que Hitchcock nos ensinou, dentro de um caixão debaixo de sete palmos de terra, não consigo pensar em nada mais desesperante.

Chama-se Marta, acho

Ainda não vi o programa sobre sexo da TVI, apenas ouvi dizer bem. Já vi fotografias da apresentadora, mas não é por isso que gosto dela antes mesmo de ver o programa. É pelo que li na Visão desta semana, numa entrevista da senhora. Em transcrição de memória é qualquer coisa como isto, respondendo a uma pergunta sobre os problemas mais comuns nos casais modernos, seja isso o que for:

«O maior problema é não haver orelhas suficientemente grandes para ouvir e bocas suficientemente grandes para dizerem o que é preciso dizer-se.»

Às vezes é tão simples explicar coisas complicadas...

05 Outubro 2005

Chama-lhe nomes...

O mínimo que dizem dele é que é prolixo. Se isto for lido em separado até pode ofender, mas assim juntinho quer dizer apenas que fala longamente. Jorge Sampaio fala em círculos, usa palavras difíceis, cumpre imensas voltas em torno do principal antes de lá chegar. Mas hoje discursou pela última vez como Presidente e fiquei com a sensação de que já é o último caso conhecido de um Presidente com classe e nível. Falo da segunda metade do século XX/primeira metade do século XXI. Depois disso é claro que pode aparecer alguém interessante.

01 Outubro 2005

Para uma discussão séria



Isto está (literalmente) giro quanto a mandatários dos candidatos mais importantes às Presidenciais de Janeiro: então não é que depois de Mário Soares ter recrutado a bela Joana Amaral Dias veio agora Manuel Alegre chamar o que eu presumo belo Pacman, dos Da Weasel?

A minha óptica de heterossexual (não é politicamente incorrecto, não?) diz-me que o moço é bem parecido, algumas opiniões femininas que tenho ouvido também são favoráveis. Sobre a Joana não é preciso dizer muito mais.

Agora a questão é simples: se dependesse dos mandatários para a juventude, quem iria defrontar *** * **** **** na segunda volta?